terça-feira, maio 19, 2015




O que poderia
    mas não foi
       é quimera
Seu veneno carregado de culpa e delírio
                       tortura 
                       através de infinitas conjecturas

Um monstro que nasce da dúvida
                                               e
                                               alimenta-se da imaginação
Nos mantém ancorados ao presente
                              escoltados por nossas próprias escolhas
Durante uma incessante chuva torrencial de possibilidades
Onde cada passo é uma sentença

                               vital para um caminho
                               final para muitos

Dos intangíveis universos paralelos de ventre especulativo
Fantasmas que assombram a psique
Zombando por detrás das portas que deixamos de abrir

Mas que de uma forma ou outra nos trouxeram até aqui


190to0T4L515

Nenhum comentário: