segunda-feira, agosto 25, 2014

TRÁGICA MORTE

 P/ o meu amigo Clendison.

 Andava sempre na linha dos fatos
Até a vida passar por cima dele
E reduzi-lo a versos e memória.

Da página abruptamente arrancada
Ainda ecoa seu grito feito de vento.



Fabiano Silmes

2 comentários:

to0T4L disse...

Ele escrevia?

Fabiano Silmes disse...

Não escrevia... Ele, ele apenas vivia um lado marginal da vida. Havia certa poesia não encadeada de toda a loucura que o permitia trafegar no fio da navalha. Um dia foi-se a sorte e ele se viu ferido mortalmente no caminho sem volta que escolhera. A poesia, ou seja, os versos que escrevi foi uma tentativa quase nula de tentar conferir um pouco de beleza aquilo que não tem beleza alguma, só saudades mesmo!