segunda-feira, março 17, 2014

POEMA PATÉTICO














Aí, ela me diz: eu te amo.
Aí, eu vou e digo: eu também te amo.
Aí, o teto, as paredes, os muros desmoronam
E a gente fica se olhando no meio da sala
Como tristes prisioneiros um do outro...
Até o tempo corroer a foto patética.

Fabiano Silmes

Um comentário:

Rafaela disse...

Muito bom!
Lembrou-me Moska: "..vc se sente solto e livre dentro de um cubículo, tal como eu me sentia bem ali..."

Abraço!