segunda-feira, setembro 09, 2013

ESFINGES MIDIÁTICAS











Aceite
Inerte
Pálidos
Agrados
Áridos
Falidos
Movimentos
Em postos
Nus
Nos arredores
Do nada
E não reclame
Pelo
Enxame de
Promessas
Não Cumpridas
Mastigue-as
Apenas
E
Continue
Sorrindo
para a TV.

Fabiano Silmes

4 comentários:

7o0T4L disse...

ato
praticado
torna-se
fato
esticado
este caldo
derrama-se
em fardo
o contrário
é raro
se
quando

parado
prostrado
frustrado
sem mente
semente
do
fim

Fabiano Silmes disse...

Poema do poema.
A perfeita conversa
de dois poetas
de almas irmãs.

Valeu parceiro!

o bicho pega
quando a mente
o liberta
na paisagem sem
pautas e fronteiras

da nossas trocas
de idéias.


Evoé, Poeta, amigo e irmão!


╦®┴@╚ disse...

é isso ...

Carlos Orfeu disse...

Muito bom poema, camarada!

Corpo
Tempo parado
Na prisão do sofá
Nas grades da TV
Nos canais
O amor em ficção
Do sexo uma nova posição impessoal para se masturbar

A vida corre
Não há controle
Controle remoto que dê pause
Para viver

Desconectar a rede
Fora de sinal
Viver
Viver
Viver
Viver
FORA

Carlos Orfeu