sábado, março 10, 2012

A voz dos excluídos

A cidade amanheceu mais triste.
A voz que dava vida ao cotidiano,
De repente, silenciou na garganta
Do poeta, que clamava por verdade
Nas crônicas, nos textos e na poesia.

A cidade não pode mais protestar,
Exigir mudanças, desafinar o coreto...
A cidade não pode falar mais nada!

Infelizmente senhoras e senhores:
A cidade perdeu a voz...E a vida!

Fabiano Silmes

Um comentário:

Lu Rosário disse...

E a gente se perde dentro de si.

Beijos.