quinta-feira, setembro 30, 2010

Herzog

Em silêncio medito...
A revolução
Dentro do meu peito
Não foi sufocada:
Mãos
Grades
E amordaças
Não puderam me calar.
Um dia sei, e acredito,
Que em algum lugar
Alguém há de ouvir
O meu grito na história.

Fabiano Silmes

2 comentários:

Lu Rosário disse...

Se ele já não está començando a ser ouvido, não é meu anjo?

Duo Postal disse...

Eu não tinha visto e nem sabia que você tinha escrito algo sobre o Vladimir Herzog, mas você soube traduzir muito bem sua ideologia fortalecendo seu legado. Cara, dá uma olhada no blog do Duo Postal, de impresso agora ele é online. Dá um abraço no pequeno Luan, abs!!!