domingo, junho 13, 2010

O Poema Insolúvel

Não haverá dias como aqueles
Se bem que todos os dias
São indecifráveis e incertos

Contudo nada irá se comparar
Com os momentos daqueles dias
Com as alegrias daquelas horas

Tudo se perdeu num sonho escuro
E o pranto derramado cobriu o resto

Entretanto alguma coisa ficou intacta
Na força, na ausência e na palavra
Ao qual se funde a saudade e
Se transforma nesse verso.

(Nesse único verso que se destaca) .


Fabiano Silmes

Um comentário:

to0T4L disse...

"Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma".

abs.