domingo, maio 16, 2010

O vir a ser de tudo

Não me convenço
Das permanências
Tudo é transitório

Sinto toda angústia
Do que me é alheio
Como qualquer pessoa
que abre a porta e nunca sai

Mas algo há de vir dos
Gestos inúteis:

A vida não é
Um passeio público.


Fabiano Silmes

Um comentário:

Lu Rosário disse...

A vida é um andar (in)consciente de formas, gestos, palavras e vozes.