domingo, maio 30, 2010

O Vazio além da saudade


In memóriam a Dinda

Meu riso é só um ruído na casa vazia.
Minha saudade é um só grito no escuro.
O meu olhar é simples e claro em sua tristeza.
Choro rios e rios de dores furtivas e profundas
E retenho todas as lágrimas de angústia
Enquanto morro afogado por dentro.


Fabiano Silmes

domingo, maio 16, 2010

O vir a ser de tudo

Não me convenço
Das permanências
Tudo é transitório

Sinto toda angústia
Do que me é alheio
Como qualquer pessoa
que abre a porta e nunca sai

Mas algo há de vir dos
Gestos inúteis:

A vida não é
Um passeio público.


Fabiano Silmes