sexta-feira, junho 19, 2009

O acaso


Olhei para dentro do acaso
E achei graça
Pensei que tinha visto
Borboletas.


Fabiano Silmes

8 comentários:

Catarina Poeta disse...

Casual, profundo, com teor nas simples palavras.
Beijo!

F. Reoli disse...

Tudo, tudo voa, se transforma... e vai longe os pensamentos...
Abração!

Rebeca dos Anjos disse...

Não foi a toa que tatuei uma em mim.
O desprendimento do seu espírito aberto à transformação, a liberdade, o sentimento bom que trazem ao cruzarem os olhos por aí.

Tudo fruto de um acaso divino.

Beeeijo, mocinho! =)

Angela disse...

É dentro do acaso que encontramos os sentidos...

Bjo!!!!!

O empírico disse...

Boa...

to0T4L disse...

Os olhos são treinados para ver.

abs

Godet disse...

...no farfalhar dos olhos...brancos ou pretos.

Welington de Sousa disse...

Verdade ... o acaso as vezes voa, as vezes vaza... as vezes , quase nada...

Valeu Fabiano !