quarta-feira, fevereiro 27, 2008

É carnaval e chove

É carnaval e chove.Observo a chuva com prazer incomensurável.
Devo ser em todo o Rio de Janeiro o único carioca que sente
feliz com esta presença não desejada pelos foliões e pelos amantes
da praia de Copacabana.Perdoa-me rapazes e moças bronzeadas,
que se amam sob o calor tempestivo do Rio.Perdoem-me trabalhadores
que saem de manhã cedinho para cumprir a dura missão de manter
acesas as engrenagens da cidade.Perdoem-me também os vendedores
ambulantes com as suas cervejas nem sempre geladas,mas sempre
indispensáveis no fim de tarde.Perdoem-me todos os pretos,brancos,
índios e mulatos que batucam no mesmo rítmo.Tenham pena deste que
sozinho olha a chuva cair e acha graça.Deste que em verdade tem a chuva
como companhia.Perdoa-me ó multidão de risos úmidos e fantasias
molhadas.Perdoa-me principalmente aquele senhor e aquela senhora que
apesar de tudo,fizeram a fantasia para seu filhinho brincar o carnaval.
Perdoem-me todos...os gregos,os troianos e até mesmo a esta chuva...
_Pois a chuva que quero é aquela que não quer molhar ninguém.


Fabiano Silmes

4 comentários:

Lu Rosário disse...

Acho que não há o que perdoar..

..poxa,sou sua fã.

Beijão.

www.sempudor.blogs.sapo.pt

Vortex Project disse...

Depois deste poema a galera te perdoa sim!
Mas nem esquenta não, carnaval se curte até debaixo d'água :)

abs
to0T41



::::::::::::::::::::::::::::::::::

Lu Rosário disse...

e é pelas experiencias..que há o continuo da vida.

Beijos.

www.sempudor.blogs.sapo.pt

Lu Rosário disse...

Dizem que tudo o que é bom dura pouco.. mas o que é realmente bom parece durar uma eternidade porque as lembranças ficam a vida toda.

www.sempudor.blogs.sapo.pt