sexta-feira, agosto 03, 2007

O anti-poema

o sol faz ver
quem olha o sol
não vê nada
com lente escura
dá para
olhar e ver
escurecer o olho
dentro do olho
e o sol brilhar
escuro
o cu é uma
palavra
pequena e ao
mesmo tempo
palavrão
a cigarra não
fuma cigarro
o cigarro fuma
pulmão
a mente sabe
o que sentimos
ela faz a gente
sentir o que
sentimos
quando sentimos
o que ela quer
mas todo mundo
diz que o culpado
é o coração
que é um
músculo
que bate no peito
dizendo
que não é
o culpado não.


Fabiano Silmes

6 comentários:

Rebeca dos Anjos disse...

"O cu é uma palavra pequena e mesmo assim é palavrão..." Muito bom!!!

As aparências enganam. O sentido que damos às coisas podem nos enganar mais ainda. No final, sempre damos o sentido que queremos com o tamanho que queremos.

Imagina quando fazemos isso com pessoas e não com palavras ou com o próprio coração?

Qual será o tamanho das coisas??

Lu Rosário disse...

Eu também gostei destes versinhos que Rebeca destacou no comentário acima..hehehe

As coisas nem sempre são como queremos, imaginos, pensamos.

Beijos.

to0T41 disse...

São do tamanho que os permitimos ser.

Tbm gostei.

F. Reoli disse...

acredito que as palavras são quilômetros e quilômetros de sensações que elas causam...
Abração

Cadinho RoCo disse...

Se a culpa não é do coração, de quem será então?
Cadinho RoCo

Fabiano Silmes disse...

De nossa impressões sobre as coisas da vida...pois nós sempre queremos tentar domar as tempestades...o nosso desejo incontrolavel nos guia para mais desejos...e no fulir de nossa existência vivemos cheios de vazios...Como precisamos achar um culpado pelas dores sentidas....então culpamos o nosso coração....que inocênte recebe a eterna culpa por nossas ilusões.


Abraços