sábado, julho 14, 2007

Quintal Celeste



Ocupante de toda visão: espaço
Astros povoam tua imensidão
Invadem o pensar
E mantêm o equilíbrio

Revelas a face de minhas idéias inquietas,
A ribombar mente afora
Libertas das correntes corpóreas
Como pluma leve ao vento

Não sei mais onde meus passos me guiam
Mirar-te, firmamento, trás a certeza da incerteza
Porém descalço sinto as estrelas,
O embrião de um novo dia, e as possibilidades de um velho ser

Mas em ti não creio, nem posso crer.
Nada provas a ninguém
És rei, não réu.

Sonho apenas voar-te alto
Num sobre-salto da imaginação
Enquanto o mundo dissolve,
Serei tua lágrima.

290total507

2 comentários:

Fabiano Silmes disse...

Dormir em lagrimas eternas sobre o infinito e apagar.O universo é um fluxo entre os dias no pensamento ...Asas em cada idéia para cada vez mais alto o pensamento chegar.Acima do do céu tem outro céu sem estrelas... E dentro do poeta encontra-se todos os infinitos movimentos para sempre voar.

GUSTO VIBE disse...

Vivemos todos os dias pensando no seguinte e relembrando o anterior.
Quando estamos dormindo sonhamos devagar, como se estivéssemos voando na imensidão do espaço, infinito...
...Já planejando o futuro!!! Ao mesmo tempo aceleramos nossa existência como num sonho, inquietos mas satisfeitos por existir. Essa é a visão que tenho desse lindo poema.

Abraços.