terça-feira, fevereiro 06, 2007

Cores Invisíveis

Algo no nada
Tempo outorgado
Eu e você
Verbo conjugado
Silêncio afogado
Lágrimas secas
Limitado infinito
Homem criado
Enigmas no prato
Olhos serrados
Sentimentos empoçados
Perdidos no tempo
Máquinas e ruas
Esquinas e vielas
Cosmos: dentro / fora
Antes, depois, agora
Nada além:
O poeta, a poesia e o fazer poema.

170Tot4l107

3 comentários:

Rebeca dos Anjos disse...

Êh!!!

Muito bom!!

E sentimento corrido se confunde com realidade!!

Tum tum tum!!!

Beijos!!

Fabiano Silmes disse...

Cores invisíveis para pintar tudo e nada de dentro pra fora e além...

Abraços

Sabrina disse...

Apesar de tudo o importante é não deixarmos de perceber as cores, mesmo que os fatos as tornem invisíveis. Bj