terça-feira, janeiro 23, 2007

Dissertação sobre a natureza do que é oco

O que é oco tem dois lados:
O vazio que é dentro;
Que é parte sem carne
De algo que se pode pegar;
Como um tenis,uma garrafa ou um vaso.
E o fora que é o que se deixa pegar;
Como um pacote vazio ou uma bexiga cheia de Ar,
Envolta inerte por mãos que se distraem pelo que é fora;
Pelo que se mantém no espaço e no tempo,
Sendo uma embalagem pro nada,uma casca-coisa,
Do que não é próprio a se levar em mãos...
O fora quebra-se em cacos como um copo.
O oco vale pelo que é dentro
E não o que lhe é em aparência,
O que se deixa levar como objeto.
O que é oco,vale antes pelo nada
De seu interior-coisa;
Em que se leva sem se levar.


Fabiano Silmes

5 comentários:

to0t4l disse...

_Oco_ um servo sempre de prontidão, disposto a ceder seu espaço. Seu valor concentra-se exatamente no vazio que carrega. O q mais pode dizer o oco?
abs

Fabiano Silmes disse...

Tudo e nada é o oco, na verdade creio que nós é que somos servos dele...ou melhor,segundo o conceitos taoísta nós somos uma criação do vazio...Pertubador não acha?

O empírico disse...

E foi assim que descobriu a função pura e verdadeira do ser.

Somente ser.

Rebeca dos Anjos disse...

Imaginei vc falando isso pra uma criança.

O oco é mesmo muito simples.

Beijos!

Fabiano Silmes disse...

Realmente Rebeca; o oco é muito simples...Complicar sua forma é ir contra o grande fluxo segundo o conceito Taoísta...Que diz que o vazio é o caminho mais facíl...

Abraços