sábado, dezembro 09, 2006

Íris

Em meio ao mato abriu-se uma flor
Como a luz que rasga a escuridão
De prisma fez meus olhos
Refletindo um arco-íris de palavras
Revelado por minhas mãos.

060Total906

5 comentários:

Fabiano Silmes disse...

Certamente este é:

Um poema
de se vê
Vestido
De poesia
Pra se vê
Toda a poesia
Deste poema:

O olhar
se funde
Com o visto
Vestindo
A imagem
E dela fazendo
Sua poesia por dentro
Deste poema que a si mesmo explica...

Em cores e versos
todo o olhar do poeta...
Leandro Ferreira Manhães EVOÉ

Abraços

Rebeca dos Anjos disse...

Eu AMO brincar com cristais, nem que seja aquele cristal de plástico que envolve a caneta bic!

E quando aparece um arco-íris, sinto, sinto mesmo que é coisa boa que chega!

Beijos! Delicadíssimo o seu texto!

Eduardo disse...

quem procurar há de encontrar vida aonde só se vê morte,
quem ousar interagir, com o espiríto e carne, haverá de não só encontrar essa parte que parece distoar, mas se verá responsável pela criação dessa nova esperança, e verá isso se materializar com o próprio sangue!

O empírico disse...

Muito bom trabalhar com texto e cor...

smap disse...

muito bom poder escrever o que vem a mente,trabalhando sempre conciente,e sempre fazer diferente!!!