quinta-feira, outubro 19, 2006

Desintegração

Efêmero_era tudo
Tudo era noite
Tudo era dia
Tudo era aquela calçada
Tudo era aquela esquina vazia
Tudo era aquele momento
Em qe tudo se fazia_Efêmero

Nada é brilho
Nada é certeza
Nada é escuridão
Nada é vivo
Nada é morto
Nada era(e é)nada
Nada é tudo que temos
Tudo é esse momento
De efêmera eternidade.


Fabiano Silmes

Nenhum comentário: