sexta-feira, julho 14, 2006

A longa objetividade das coisas

Breves são as flores
Misteriosa é a resistência das pedras
Indiferente é o vento frio que passa
Despreparados são os homens

Breves são os homens
indiferentes são as pedras
Misteriosa é a resistência do vento frio que passa
Beijando de leve as flores despreparadas.

Fabiano Silmes

2 comentários:

O empírico disse...

Fodão isso!

maieiros disse...

poesia marginal? E uma questão de publicidade apenas... voltemos a qualidade disso e percebemos um objeto sendo alcançado. O transe, imbutido na troca de palavras e sentidos, revirar de perspectivas quando nos damos ao objetivo da frase e a troca de palavras e sentido nos oferece transcendencia quanto as perspectivas jogadas a tela. Poemas nascem de poetas e não de publicitários